Banco Central criará sistema de pagamentos instantâneos, terá transferências em segundos e funcionamento 24 horas

Banco Central criará sistema de pagamentos instantâneos, terá transferências em segundos e funcionamento 24 horas

03 de Setembro de 2019

Banco Central avança no desenvolvimento de um novo sistema de pagamentos instantâneos que deve substituir os atuais métodos de transferência bancária por uma tecnologia mais rápida, barata e que funcione 24 horas por dia.

Hoje existem duas formas, mais comuns, de transferir recursos entre contas bancárias, são elas:

  • DOC (Documento de Ordem de Crédito) - permite enviar até R$ 4.999,99 e chega ao destino no próximo dia útil.
  • TED (Transferência Eletrônica Disponível) - não tem limite e é enviado ao destinatário em alguns minutos.

Porém , os dois métodos só funcionam em dias úteis, das 6h30 às 17h.

Com a nova tecnologia implementada a infraestrutura será centralizada e “estará disponível 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias do ano”. Já o processo de transferência poderá ser realizado totalmente pelo celular, com a ajuda de um “código único de identificação”, como um QR Code, conforme informou a Agência Brasil.

O Banco Central será responsável por desenvolver e administrar a tecnologia. “Para o recebedor, a diminuição no número de intermediários significa menor custo de aceitação em relação aos demais instrumentos de pagamento. O estabelecimento comercial precisará ter somente um código único de identificação para permitir que seus clientes façam a leitura desse código por meio de seus smartphones. Nesse código estarão contidas todas as informações necessárias para que os recursos sejam transferidos instantaneamente”, explicou o Banco Central.

Segundo o Banco Central, o novo modelo é “propício para o aparecimento de fintechs que desenvolvam soluções inovadoras para facilitar as transações de pagamento, tanto para pagadores quanto para recebedores”. Para o BC, essas fintechs “oferecer serviços agregados ao serviço básico de pagamento, como oferta de seguros, crédito, investimentos, conciliação, pagamentos de tributos, etc.”

 

Fonte: Tecnoblog

Escrito por: Nicolas Castro | Assessor de Imprensa WD House